cogumelos mágicos

Cogumelos alucinógenos podem tratar depressão profunda, diz estudos

A Psilocibina, componente presente em cogumelos mágicos, é estudada por britânicos. Os efeitos e os benefícios dos cogumelos alucinógenos ainda estão em fase de testes. cogumelos mágicos

Confira algumas informações para você que procura comprar cogumelos magicos online. A psilocibina, o componente psicodélico presente em cogumelos mágicos, pode um dia ser um tratamento eficaz para pacientes com depressão profunda que não conseguem se recuperar usando outras terapias, disseram cientistas nesta terça-feira (17).

Um estudo piloto de pequena escala do uso da psilocibina em casos de depressão resistente a tratamento convencional mostrou que o método é seguro e eficiente, disseram pesquisadores britânicos sobre os resultados de estudos com psilocibina, substância encontrada em cogumelo aluncinógeno.

Dos 12 pacientes que receberam a droga dos cogumelos alucinógenos, todos mostraram algum recuo nos sintomas de depressão durante pelo menos três semanas. Sete continuaram a exibir uma reação positiva após três meses, e cinco continuavam em recuperação após este período.

Robin Carhart-Harris, que liderou o estudo no departamento de medicina do Imperial College de Londres, disse que os resultados, publicados no periódico científico Lancet Psychiatry, são surpreendentes.

Muitos pacientes descreveram uma experiência profunda, disse ele, e pareceram ter uma transformação na maneira como percebem o mundo.

“Mas não devemos nos empolgar com estes resultados”, afirmou aos repórteres em um boletim em Londres. “Isso não é uma bala de prata. Estamos começando a aprender como fazer este tratamento”.

Os cogumelos mágicos crescem em todo o mundo e vêm sendo usados desde os tempos antigos, tanto para recreação quanto para rituais religiosos.

fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2016/05/cogumelos-alucinogenos-pode-tratar-depressao-profunda-diz-estudo.htmlv

Estudo avalia eficácia de cogumelos alucinógenos para tratamento da depressão

Psilocibina, uma substância psicodélica encontrada em um tipo de cogumelo, é segura para o consumo por pessoas mentalmente saudáveis, aponta estudo em fase inicial. cogumelos alucinógenos

A psilocibina, uma substância psicodélica encontrada em cogumelos alucinógenos, é segura para o consumo por pessoas mentalmente saudáveis. Foi o que concluiu a primeira fase de um estudo conduzido pelo King´s College London, no Reino Unido, sobre o potencial uso da psilocibina no tratamento de pacientes depressivos. No Brasil uma substância de fácil acesso, confira um site confiável para psilocibina onde encontrar.

O coordenador da pesquisa, James Rucker, líder do grupo de pesquisa em Estudos Psicodélicos do King’s College London, explica que se consumida por “pessoas saudáveis em um ambiente controlado por médicos e psicologicamente favorável, a psilocibina é segura e bem tolerada”.

Após o consumo da substância, os voluntários ficaram em uma sala monitorada por um psiquiatra por seis horas. “Não houve eventos adversos graves e os efeitos colaterais que ocorreram, como a alteração da percepção, já eram esperados. Isso não significa que é seguro tomar psilocibina fora de um ambiente médico”, afirma.

A fase 2 e 3 do estudo se concentrará em descobrir se o psicodélico é eficaz para a depressão. “Precisamos de mais ensaios e estudos antes de testar a substância em deprimidos. Mas esses estudos estão em andamento e devem ser concluídos nos próximos cinco anos”, afirma Rucker. Segundo o acadêmico, a pesquisa da psilocibina está em desenvolvimento clínico para depressão em centros nos Estados Unidos, Canadá e Europa.

“O que podemos afirmar até o momento é que a terapia assistida por psilocibina, feita de modo intermitente e fornecida em um ambiente hospitalar seguro, contrasta com a necessidade de se tomar um antidepressivo todos os dias em casa”, explica o britânico.

Os resultados preliminares foram apresentados no dia 11, durante o 58º encontro anual da American College of Neuropsychopharmacology (ACNP).

Avaliação dos pontos polêmicos

Sem participar do estudo e analisando o cenário geral do estudo, o médico psiquiatra titular da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Marcelo Avelato, aponta que o que se conhece sobre os usos terapêuticos de psicoativos ainda é muito limitado.

“Tudo que já se pesquisou sobre o uso de psicoativos no tratamento de transtornos mentais obteve resultados modestos e não há nenhuma eficácia comprovada”, afirma Avelato. “O canabidiol, por exemplo, está na moda, mas ainda precisamos de muitos estudos para se falar do uso da substância no tratamento da depressão”.

Se comprovada a eficácia da substância encontrada no cogumelos mágicos, Avelato acredita que esse tipo de terapia não convencional será ainda mais cara que a convencional. “Será um tratamento com custo elevado, pois é preciso ser feito em um ambiente hospitalar e com um acompanhamento médico por horas. Não é barata manter essa estrutura”, avalia.

Apesar dos contras, o psiquiatra brasileiro é a favor dos estudos sobre o uso da psilocibina no tratamento de depressivos. “Ainda existem necessidades não atendidas no tratamento da depressão, como os casos em que os pacientes são resistentes ao tratamento convencional.”

De acordo com Avelato, um terço dos pacientes com depressão não terão resultados eficazes ao tratamento convencional. Para essa parcela resistente, o médico explica que há alternativas como a polêmica terapia eletroconvulsiva e antidepressivos usados somente para esses tipos de casos com sintomas residuais – alguns ainda não liberados para uso no Brasil.

“Esses pacientes resistentes não ficarão tão mal quanto estavam no começo da terapia, mas ainda terão sintomas residuais importantes da depressão”, explica o psiquiatra. “Se liberada, a substância será uma opção a mais no tratamento da depressão, principalmente para os casos resistentes à terapia”.

Fonte: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/12/21/estudo-avalia-eficacia-de-cogumelos-alucinogenos-para-tratamento-da-depressao.ghtml

No Brasil psilocybe cubensis comprar é uma pratica legal, e tem sido procurado para fins de estudos por pesquisadores de todo o globo, sites como ahofind.com prestam atendimento rápido e solução na procura pelos mágicos no pais.


Como funciona a nossa mente com Psilocibina

O que eu gostaria de abordar neste artigo, diz respeito a cada um de nós especificamente, porque somos todos humanos, todos temos um cérebro.

Embora podemos vir de religiões diferentes, origens diferentes, profissões diferentes e cores diferentes, o nosso cérebro funciona praticamente da mesma maneira.

No centro do tópico do que iremos abordar estão os psicodélicos. Mas quero deixar uma coisa muito clara desde o início, não é meu propósito incentivar o uso de quaisquer substâncias legais ou ilegais.

O meu propósito é despertar sua curiosidade sobre substâncias psicodélicas, um assunto que estava adormecido há muitos e muitos anos, levantando estigmas sobre estas substâncias psicodélicas, porque eu acredito e a ciência também acredita que há muito potencial tanto na medicina, quanto nas pesquisas em termos de desenvolvimento pessoal, eles podem ser usados como ferramentas pessoais, auxiliando em traumas do passado, comportamentos depressivos e em transtornos de ansiedade, portanto mesmo antes de começarmos a discutir precisamos entender como funciona o cérebro dos humanos.

Como o cérebro funciona

O nosso cérebro em grande parte funciona como um software automático, o que isso significa? São cerca de 80 milhões de neurônios em nosso cérebro se comunicando através de sinais elétricos e estes sinais trocam informações, sentimentos, percepções e é assim que você se sente, é assim que você pensa, assim você memoriza e tudo mais.

Sua experiência humana depende de vários neurônios disparando juntos, simultaneamente, perfeitamente e sincronizados..

Infelizmente na medida em que envelhecemos, tendemos a pensar apenas em redes neurais definidas, quando uma criança nasce por exemplo, o cérebro dela funciona de maneira muito diferente, a criança usa um potencial neurológico muito maior da capacidade do seu cérebro, eles usam sinais muito diferentes em comparação com os dos adultos.

Podemos concordar que as crianças podem cair muito, elas podem fazer perguntas estranhas, certo? É por isso que as estranhamos, porque usam caminhos neurológicos muito diferentes em comparação com os nossos.

As crianças não têm discernimento do que é passado e futuro, não nascem com um idioma de fala e entendimento pré-definido, porém sua capacidade de aprendizagem é algo fascinante.

O que explica isso? Porquê quando adultos temos mais dificuldade no aprendizado?

Eu vou me concentrar em uma rede neurológica específica (DMN) este é o modo de rede padrão e como você deve ter adivinhado, é o modo de funcionamento padrão do nosso cérebro.

O que é amplamente responsável por sua consciência a percepção humana, essa rede está situada em seu córtex pré-frontal medial e está ativa praticamente o tempo todo, mesmo que esteja envolvido em uma tarefa, quando está pensando em si mesmo, quando está pensando em outras pessoas, quando está envolvido em uma lembrança detalhada da memória no raciocínio moral, quando você está dando julgamento e rótulos, quando está avaliando você mesmo ou os outros, e sempre que você pensa sobre o futuro ou passado.

Dos 6 aos 12 anos é que o cérebro entra no modo padrão, você não será capaz de pensar fora dessa rede neurológica, não podemos simplesmente ir em frente e dizer “vou evitar isso, eu vou usar o meu potencial neurológico extra”.Não é tão simples assim.

Com a idade tendemos a buscar apenas os mesmos caminhos por essa rede padrão e gostando ou não, eles vão processar as coisas para você de uma forma específica.

Porque estou lhe contando tudo isso? Bom, por causa dessa rede automática, somos como somos e descobriu-se que os psicodélicos têm um efeito absolutamente profundo nessa rede.

O que são psicodélicos

Bem, em primeiro lugar, a palavra é um conceito derivado do grego antigo e o termo surgiu na década de 60 junto com as drogas alucinógenas como o LSD.

Psique significa: mente ou alma.

Dhélics: significa mostrar ou revelar, isso se traduz em revelação da mente ou comumente usado como “expansão da mente”.

Existem muitas muitas muitas substâncias diferentes que poderia ser classificadas como psicodélicas por aí e eu quero enfatizar realmente aqui que eles eles são uma categoria completamente diferente de coisas em termos de experiência qualitativa em comparação com qualquer outra coisa que você possa ter encontrado na rua ou que possa ter ouvido falar de seus amigos fumando ganjah, talvez usando um pouco de cocaína, isso é completamente diferente, eu vou concentrar praticamente em um tipo específico deles neste artigo.

Esses são chamados LSD, Cogumelos Mágicos ( psilocibina) e dmt também conhecido como Ayahuasca, desses três vou me concentrar em uma substância específica que é o cogumelo psilocybe cubensis.

psilocibina onde encontrar

Quando você ingere cogumelos mágicos a psilocibina se decompõe em seu estômago e a psilocina é o que faz a magia, eles são agonistas do receptor de serotonina.

O que isso significa?

É que eles não agonizam seus receptores ou fazem mal a eles, o que eles fazem é ligar-se a eles, a molécula de psilocina é uma réplica exata da molécula de serotonina, é uma réplica exata da natureza, é como se a natureza brincasse de copiar e colar.

Sendo assim, a forma como eles se ligam ao receptor é absolutamente magnífica, porque não faz mal ao receptor, não machucam os tecidos ou causam algum dano ao tecido.

Os cogumelos Mágicos, psilocibina onde encontrar, crescem em quase todas as zonas climáticas, existem mais de 200 espécies deles em todo mundo e eles têm sido usados até 6000 Anos antes da vinda de Cristo.

Eles têm sido usados por muito muito tempo apenas em um ambiente religioso espiritual não recreacionalmente, esta não é uma substância recreativa e não deve ser tratada como tal porque os efeitos em comparação com as outras substâncias recreativas como as quais estamos mais familiarizados, são completamente diferentes, os efeitos são algo que você realmente não pode colocar em palavras pois ficará aparente em breve.

Para ver como a psilocibina, o cogumelo mágico afeta o cérebro humano, depois de já estabelecermos que a molécula de psilocina se liga ao receptor de serotonina que realmente é algo espetacular, algo incrível a primeira pesquisa sobre a qual vou falar foi conduzida em 2012 em Londres.

Uma equipe de pesquisadores liderados pelo professor do Colégio Imperial de Londres David nutt um cara incrível.

O que eles fizeram foi administrar adultos em um ambiente controlado e observará quais eram os efeitos causados pelos cogumelos mágicos, então o que aconteceu foi que quando a psilocina encontrou o receptor de serotonina o fluxo sanguíneo para sua rede de modo padrão (DMN) aquela área que é constantemente responsável por seus pensamentos q ue está sempre ativo, eles notaram que o fluxo sanguíneo daquela área foi severamente reduzido e o cérebro foi colocado em uma espécie de estado de sonhos sedado.

Em 2014 a mesma equipe acompanhada por um matemático italiano, aliás, então pelo menos para mim o que me diz que os resultados devem estar corretos, eles descobriram que paralelamente à essa diminuição do fluxo sanguíneo havia também uma diminuição da atividade neural dentro da rede de modo padrão (DMN) dos sujeitos.

Então os neurônios do DMN que normalmente trocam sinais para processar as coisas, estava agora meio que em um modo de funcionamento reduzido, quase desativado de certa forma.

Enquanto você estiver sobre os efeitos dos cogumelos mágicos, o cérebro estará em neuroplasticidade, isso significa que sempre que tiver uma emoção, um pensamento que normalmente seguiria um caminho específico através do DMN, o seu cérebro criará automaticamente novas conexões, criará novas junções entre os neurônios e irá encontrar maneiras alternativas de se comunicar.

As mesmas informações agora estão sendo processados por meios alternativos, caminhos diferentes e não é apenas isso o que eles observaram, identificaram que a comunicação geral dos neurônios dentro do cérebro foi espetacularmente aprimorada, o efeito de longo alcance, como é chamado na ciência o “efeito de longo alcance” onde áreas do cérebro se separam uma das outras onde normalmente não havia como se comunicar ou processar informações,agora elas estão estabelecendo as novas conexões.

O DMN foi desativado e isso é algo espetacular, houve uma reorganização temporária dramática do cérebro e um grande aumento na atividade da comunicação neural e as novas conexões foram perfeitamente sincronizadas no espaço e no tempo.

É como se o cérebro soubesse como fazer essas coisas por padrão mas se esqueceu durante o período de crescimento, notaram que o cérebro não estava sobrecarregado, na verdade parecia estar em estado de meditação, as varreduras cerebrais eram praticamente idênticas a de um cérebro em meditação.

A meditação meio que afeta as mesmas redes neurológicas que a rede de modo padrão (DMN) desligando os sentimentos de si mesmo e a sua conversa interna e tudo mais, é ai então que as coisas realmente começam a terem sentido, é muito muito louco quanto potencial de comunicação entre neurônios a psilocibina é capaz de estabelecer.

Esse é o aparato mais complexo conhecido pelo homem, estudos afirmam que não utilizamos nem 10% da capacidade do nosso cérebro por causa da rede de modo padrão (DMN), podemos estar diantes do maior avanço da evolução do ser humano com o uso das substâncias psicodélicas como os cogumelos alucinógenos com psilocibina (psilocybe cubensis), veja onde cogumelo alucinógeno comprar, os famosos cogumelos mágicos.


O que os cogumelos mágicos fazem?

Cogumelos mágicos são drogas alucinógenas, o que significa que podem fazer com que você veja, ouça e sinta sensações que parecem reais, mas não são. Os efeitos dos cogumelos mágicos, no entanto, são altamente variáveis ​​e acredita-se que sejam influenciados por fatores mentais e ambientais, como outros alucinógenos. Confira também ayahuasca benefícios.

Vários fatores influenciam os efeitos dos cogumelos mágicos, incluindo dosagem, idade, peso, personalidade, estado emocional, ambiente e histórico de doença mental.

Rituais e autodescoberta

Os cogumelos mágicos são frequentemente procurados para uma alta pacífica, os cogumelos alucinógenos foram relatados para induzir ansiedade, alucinações assustadoras, paranóia e confusão em alguns.

As internações hospitalares relacionadas ao uso de cogumelos mágicos estão frequentemente ligadas ao que é conhecido coloquialmente como uma "má viagem".

Cogumelos mágicos são usados ​​há milhares de anos para usos espirituais e medicinais entre os povos indígenas da América e da Europa.

Os cogumelos têm uma longa história de associação com experiências espirituais e autodescoberta.

Muitos acreditam que drogas naturais como cogumelos mágicos, erva daninha e mescalina são ervas sagradas que permitem que as pessoas atinjam estados espirituais superiores.

Outros tomam cogumelos mágicos para experimentar uma sensação de euforia, conexão e uma sensação distorcida de tempo.

O que acontece quando ingerimos cogumelos alucinógenos?

A psilocibina encontrada nos cogumelos é convertida em psilocina no corpo e acredita-se que influencie os níveis de serotonina no cérebro, levando a percepções alteradas e incomuns. Os efeitos levam de 20 a 40 minutos para começar e podem durar até 6 horas – a mesma quantidade de tempo que leva para a psilocina ser metabolizada e excretada.

Os pesquisadores tendem a desaconselhar a automedicação com psilocibina porque, fora de um ambiente clínico, pode ser mais difícil gerenciar sua ansiedade enquanto estiver sob a influência (potencialmente levando a uma bad trip), você pode tomar uma dosagem muito alta e é difícil saber a pureza da droga se você a estiver comprando de uma fonte não regulamentada.

Além disso, pessoas com condições de saúde mental pré-existentes podem ter maior probabilidade de sofrer efeitos adversos da psilocibina.


Estudo com psilocibina inscreve médicos com depressão ligada ao COVID

O estudo UW Medicine visa detectar se a psicoterapia assistida por psicodélicos ajuda a aliviar a depressão e o esgotamento.

Estudo com psilocibina inscreve médicos com depressão ligada ao COVID

A inscrição começou em um pequeno estudo sobre se a psicoterapia assistida por psilocibina pode ajudar a aliviar os sintomas de depressão e ansiedade que os médicos da linha de frente desenvolveram durante a pandemia do COVID-19.

A psilocibina é o composto psicodélico encontrado em algumas espécies de cogumelos mágicos. A Food and Drug Administration dos EUA classificou recentemente seu papel assistivo na psicoterapia como uma "terapia inovadora" para a depressão.

Estudo com psilocibina inscreve médicos com depressão ligada ao COVID

A psilocibina permite exclusivamente a exploração psicológica, disse o Dr. Anthony Back, principal investigador do estudo.

Este é o primeiro estudo do benefício potencial da terapia com médicos, e a Escola de Medicina da Universidade de Washington é o único local de teste. Trinta participantes serão aleatoriamente designados para o grupo de teste ou grupo placebo. A psilocibina ou placebo será administrado durante uma sessão de uma série de visitas com psicoterapeutas especialmente treinados.

“Estamos à procura de médicos, enfermeiros e prestadores de cuidados de saúde que apresentem sintomas clinicamente significativos de depressão e ansiedade. Esperamos ajudá-los a lidar com seus sentimentos de tristeza, inadequação e sofrimento moral como resultado de cuidar de pacientes com COVID”, disse o Dr. Anthony Back , o investigador principal.

Ele é um oncologista da UW Medicine, especialista em cuidados paliativos e professor de medicina. Ele também passou por treinamento em terapia psicodélica assistida.

Back descreveu o trauma sofrido por muitos prestadores de cuidados de COVID-19 da linha de frente.

“No início, havia essa incerteza agonizante sobre a facilidade com que o vírus era transmitido. Então, muitos médicos viram os pacientes morrerem bem na frente deles, sem a família presente, então os médicos tiveram que carregar o fardo emocional que os familiares normalmente carregariam. E muitos desses pacientes morrem em grande desconforto físico, ofegantes. Tem sido muito difícil e, em alguns casos, traumático.

“O que ouço meus colegas dizerem é: 'Acho que não posso continuar fazendo isso'”, disse Back.

Os inscritos no teste devem atender a um conjunto de critérios de elegibilidade e responder a um questionário validado cientificamente para confirmar seus sintomas de depressão. Esse mesmo questionário será aplicado novamente após as sessões para avaliar se a psilocibina fez diferença na eficácia da terapia.

Todos os participantes terão duas sessões de aconselhamento de 90 minutos para criar confiança com os terapeutas e aprender o que esperar durante a experiência psicodélica. Na terceira visita, os participantes da coorte de teste receberão uma dose de psilocibina pura sintetizada, equivalente a cerca de 3 gramas de cogumelos secos. Essa sessão será orientada por dois terapeutas e tem duração prevista de quatro horas ou mais.

“Nós os vigiaremos até que eles alcancem o estado de poder ir para casa em segurança com outra pessoa que esteja dirigindo”, disse Back.

Ele reconheceu que os participantes que recebem o placebo durante essa visita provavelmente perceberão isso “e provavelmente ficarão desapontados. Mas eles ainda terão a mesma janela de horas com dois terapeutas e, para muitos médicos, será a primeira vez que eles levam tanto tempo para processar os sentimentos que afetam negativamente suas atitudes em relação ao trabalho e à vida. ”

Estudos anteriores, principalmente um da Universidade Johns Hopkins , descreveram a eficácia da psilocibina no tratamento da depressão e da ansiedade.

Back sugeriu que a psilocibina permite exclusivamente a exploração psicológica. “Isso torna seu cérebro mais plástico e suas crenças e desejos menos rígidos. Pode permitir que as pessoas quebrem ciclos habituais de pensamentos e crenças” que podem causar sua tristeza e depressão.

Após essa terceira visita distinta, cada participante terá três sessões subsequentes de aconselhamento para discutir os insights obtidos e como eles podem informar suas atitudes em relação às mudanças no trabalho ou na vida que desejam fazer, disse Back.

A Fundação Steven & Alexandra Cohen está financiando o estudo. O Instituto Usona está fornecendo a psilocibina para o teste. A Cybin está financiando o treinamento para médicos que fornecerão psicoterapia assistida por psicodélicos. A Fundação Rita e Alex Hillman e a Fundação Riverstyx estão fornecendo financiamento suplementar para o pessoal específico envolvido no estudo.

Fonte: https://newsroom.uw.edu


Guia prático de uso da ayahuasca

O Guia Prático de uso da Ayahuasca contém as informações necessárias e acionáveis ​​para o uso seguro da ayahuasca em suas respectivas cerimônias ou de modo individual, porém religioso.

guia pratico de uso da ayahuasca

Plantas de poder são ingeridas em rituais. Eles obedecem às percepções mágico-religiosas e proporcionam cura, auto descoberta e expansão da consciência.

A ayahuasca é uma medicina sagrada que é usada para expandir a consciência e fornecer visão direta de outros aspectos da vida que podem estar ocultos no subconsciente.

Ayahuasca recomendações de uso

O número de pessoas que estão adquirindo a ayahuasca concentrada e a ayahuasca microdose para uso próprio vem aumentando de forma exponencial.

Vendo algumas pesquisas do Google: como tomar ayahuasca, benefícios de ayahuasca, ayahuasca é droga? Com base nisso, disponibilizamos este artigo para que o entendimento quanto a quanto tomar ayahuasca e quais suas formas de uso seja o mais simples possível.

Ayahuasca quanto tomar?

Antes mesmo de fazer o uso da medicina é importante saber a quantidade que pode ou deve ser ingerida, visto que todos os cuidados estão sendo tomados de forma conciente.

Microdosagem: Segundo estudos o recomendado é tomar entre 15 a 20 gotas sublinguais duas vezes ao dia, antes de meditar e minutos antes de dormir.

Dose enteógena: 20 ml é considerada uma dose inicial indicada para pessoas que estão iniciando com a medicina sagrada.

Já nas celebrações, são servidas duas doses da ayahuasca. A primeira, de 50 ml, obrigatória, é oferecida no início da reunião. Uma hora e meia depois, quando o efeito da bebida já foi atenuado, uma nova dose, desta vez cerca de 30 ml, é servida.

ayhuasca-sagrada-templo

Obs: Busque ter suas experiências com ayahuasca sagrada em um centro especializado, prefira fazer o uso acompanhado de um xamã ou profissional capacitado, pode ser um psicólogo, terapeuta comportamental, agora, se não conseguir, um acompanhante experiente no assunto pode lhe auxiliar em sua jornada.

Em um grande número de estudos científicos, foi confirmado que o uso da Ayahuasca é seguro. No entanto , existem circunstâncias em que não deve ser usado ou deve ser usado com cautela . Ou seja:

  • Se tiver uma condição cardiovascular grave
  • Antecedentes pessoais ou histórico familiar de doenças mentais
  • Tomar certos medicamentos (incluindo ervas)

Preste atenção se por um acaso você já passou alguma das situações abaixo:

  • Você já viu ou ouviu coisas que outros não puderam ver?
  • Você já sentiu que estava sendo seguido ou que estava sendo ameaçado por alguém?
  • Você já sentiu que não conseguia organizar seus pensamentos em sua cabeça por horas ou dias?
  • Você já esteve em uma situação em que seus pensamentos estavam tão rápidos que você não conseguia acompanhá - los?

Se você respondeu sim a algum destes questionamentos, significa que deve fazer uma avaliação com um profissional capacitado antes de fazer o uso da ayahuasca, tanto em cerimônias quanto no uso individual.

A recomendação do antigo Confen (Conselho Federal de Entorpecentes), que atualmente é o Senad (Secretaria Antidrogas), quando autorizou o uso da bebida em rituais religiosos, era excluir psicóticos e esquizofrênicos, estas pessoas não estão aptas a fazer o uso da medicina sagrada ayahuasca.

E isso é fundamental porque há pessoas que aparecem com sintomas que podem ocorrer fora do ritual da Ayahuasca mas acabam acontecendo dentro porque o Santo Daime pode ser um precipitador, um desencadeador desses sintomas - então devemos nos prevenir de nos tornarmos esse desencadeador.

Assim que pudermos orientar essas pessoas e avisar que tem limite, elas podem ser monitoradas e começar a tomar pouquíssima quantidade de ayahuasca, ou iniciar com o tratamento de microdosagem depois de medicada, confira onde microdosagem ayahuasca comprar com segurança e qualidade (amigos do blog).

Para aqueles que estão em risco de desenvolver quadros psiquiátricos para participar de um trabalho, deve haver um processo abrangente de triagem pré-ritual. E essa vigilância é uma salvaguarda não só para esses indivíduos, mas também para seus respectivos grupos ou facilitadores da medicina.

Além dos distúrbios já mencionados, pessoas com comportamento bipolar devem ter um cuidado maior na hora de receber a medicina. Não é recomendado que aqueles que alternam entre estados de depressão e euforia tomem o chá de Santo Daime, pois podem causar um agravamento de sua exaltação (euforia).

No entanto, se estiverem sob supervisão médica e psicológica e estiverem tomando estabilizadores de humor, como lítio e carbamazepina (Tegretol), poderão realizar seus trabalhos normalmente e sem incidentes.

Contra-indicação ao uso da ayahuasca sagrada:

Consideramos o uso da Ayahuasca contraindicado para pessoas com personalidade esquizóides e pré - psicóticas , bem como para pacientes neuróticos com insegurança de identidade e altos níveis de ansiedade ( síndrome do pânico ).

Desde a década de 1960, quando vários antidepressivos e inibidores da monoamina oxidase foram descobertos, têm sido bem aceito que o uso dessas substâncias em conjunto não é recomendado. Aconselhamos aos interessados ​​que procurem referências na literatura especializada ou contacte um profissional especializado para mais informações.

Como resultado , consideramos contraindicado o uso da Ayahuasca por usuários de psicofármacos e medicamentos – até após três semanas de suspensão da medicação.

Medicamentos que não podem ser misturados com a ayahuasca

  • Antidepressivos inibidores seletivos da recaptação da serotonina como: Fluoxetina (Prozac e outros); Citalopram (cipramil, Denyl); Paroxetina (Aropax, Ce-brilin, Pondera); Sertralina (Novativ, Sercerin);
  • Tricíclicos como: Imipramina (Tofranil); Desipramina (Norpra-mina); Clomipramina (Anafranil);
  • Antidepressivos como: Venlafaxina (Efexor), estes tem efeitos complexos ou dual conforme as informações dos fabricantes;
  • Substância de mecanismo de ação não muito bem estabelecido como: Lítio (Carboclim, litiocar, Neurolithium);
  • Inibidores da Monamia Oxidade: Tranilcipromina (Parnate, Stelapar); Fenelzina (Nardil).

Outra preocupação básica ao uso inicial é esta. Os únicos medicamentos que podem causar problemas para quem toma o chá de Santo Daime são as substâncias serotoninérgicas, que aumentam a serotonina (neurotransmissor) no cérebro. Podendo causar uma potencialização do efeito da ayahuasca concentrada, resultando em uma crise de hiper serotonina. Os antidepressivos contendo fluoxetina são as substâncias que mais têm esse efeito serotoninérgico.


Rapé: quando o tabaco é usado para fins espirituais ou médicos

rapé-indigena

A planta do tabaco é considerada uma planta poderosa, ancestral e sagrada que é usada em rituais indígenas e entre outras coisas. Ao longo dos anos, seu uso foi abusado pelos negros.

O componente mais básico do rapé é o tabaco, que é preparado por índios ou outra pessoa em uma cerimônia privada, geralmente na floresta. Depois de uma breve conexão com seus poderes e intenções curativas naquele momento específico, ele é inalado. Primeiro em uma narina, depois em outra. Tipi é a ferramenta que foi inventada para fazer uso dele.

O uso do rapé é uma prática milenar e ritualística que muitos consideram uma ascensão espiritual. Vale a pena notar que qualquer pessoa interessada em experimentar o tabaco sagrado deve encontrar uma fonte confiável. Se você administra o estupro sozinho ou com um amigo de confiança, é fundamental educar-se sobre o uso adequado.

Mas o que acontece quando você inala inadvertidamente? Ele é inalado e adormece automaticamente, obstruindo as vias respiratórias até chegar ao cérebro, onde experimenta uma espécie de expansão da consciência que pode tratar problemas de visão, sinusite, solidificar pensamentos, entre outras coisas.

Algumas das vantagens do rapé incluem:

  • Ajuda a concentração e a acuidade mental.
  • Limpa o campo energético de uma pessoa ou ambiente, além de atuar como desintoxicante do corpo e da mente, sendo por isso frequentemente associado às cerimônias da Ayahuasca.
  • Auxilia na luta contra resfriados e doenças respiratórias, limpando passagens mucosas e bacterianas.
  • Tem um efeito calmante e encorajador nas emoções que dura muito mais tempo do que a sensação inicial.

O rapé é outra forma de medicina que vem sendo passada de geração em geração, e seu uso está se tornando mais difundido em todo o mundo.

Aplicação e orientações do Rapé

Rapé- indiogena

O rapé é uma prática antiga que pode ser encontrada em muitos lugares e épocas ao longo da história. Durante a colonização do Brasil, os povos indígenas e povos da floresta usavam o rapé como remédio e para fins espirituais nos cemitérios da tribo.

Até hoje, os pajés usam rapés antes de entrar na mata para se harmonizar com as criaturas da floresta. Os índios, por outro lado, usam no para conectar seu espírito ao mundo espiritual. Passar rapé é uma frase usada em rituais xamânicos, e a substância está sempre presente na pajelança das tribos amazônicas, principalmente as que vivem no Acre.

Rapé é um pó fino que envolve o ambiente ao ser inalado por meio de uma fumaça ou nuvem que sopra. Os índios acreditam que inalar essa fumaça representa absorver energia dos espíritos que acompanham o pajé, sua linhagem ancestral, e os seres espirituais que habitam a floresta. Após a aspiração, ocorre uma biodinâmica com a energia espiritual presente.

O rapé passando pelo pajé em sua tribo indica que ele está mandando sua energia boa, sua energia curativa. Segundo o cacique Bus da aldeia dos shanenawa do baixo rio Envira, Acre, a fumaça que vem do rapé inalador promove uma "dança energética" por meio do sopro do pó fino.

O rapé é feito de tabaco, assim como outras plantas e galhos de árvores. Uma vez misturada, a mistura se transforma em um pó fino e aromático. Ele é aspirado ou sufocado por narinas. O tabaco xamânico não é industrializado; é um tabaco que foi cultivado e colhido na natureza, de plantas curativas extremamente poderosas que ainda estão em seu estado natural.

As receitas amazônicas incluem uma variedade de ervas além do tabaco, como casca da copaíba, cumaru de cheiro ( casca da cerejeira), canela-de-velho, sunum (pau-pereira) e outras cinzas derivados de cascas medicinais.

Esta planta, que é considerada uma planta poderosa, tem benefícios no combate à sinusite e na fumigação. A qualidade da composição desses ingredientes em seu prato é fundamental para seu hábito de consumo de rapé.

Estamos preocupados com o fato de o rapé estar sendo vendido de forma amplamente divulgada nas redes sociais, com vários sites vendendo o produto online. É necessário estar atento ao preparo do produto, pois não é recomendado o uso de rapé fora de seu ambiente nativo.

Como usar o rapé?

  • Sua combinação de rapé favorita;
  • Tepi ou um kuripe;
  • Papel higiênico ou um lenço de carteira;
  • Um balde;
  • Palo Santo ou Incenso.

De preferência, veja o rapé como uma ferramenta usada durante uma cerimônia para ter uma noção de como foi originalmente usado. Em outras palavras, conscientemente, com atenção e com um propósito. Por que as pessoas usam o estupro e o que podem fazer com isso? Enquanto espera o autocarro, rapé nas suas narinas e beber Coca-Cola não é uma boa ideia.

Entre na sua casa, apartamento ou onde quer que esteja procurando um lugar ou espaço onde se sinta confortável. Um local agradável ao ar livre, como seu jardim, um parque ou um canteiro de flores, também é recomendado! Quando o vento estiver soprando, tome cuidado, pois, como dito anteriormente, o rapé voará junto com o vento.

É divertido limpar o quarto enquanto ouve um delicioso incenso ou experimenta energia negativa com o Palo Santo. Depois disso, é uma boa ideia sentar em uma posição confortável, mas ativa (eu faço isso no sofá) e meditar um pouco com os olhos fechados. Isso é algo que sempre faço antes de administrar o estupro, e isso me ajuda a encontrar paz e me preparar.

Este também é o momento de levar algum tempo para considerar seus objetivos. Isso às vezes é uma razão clara para usar o estupro, qualquer que seja a pergunta ou desejo que esteja causando desconforto. Também é possível que sua intenção seja abrir para o que o rapé reservou para você.

Rapé e suas vantagens

Para resumir o que torna o rapé potencialmente benéfico, considere o seguinte:

  • O rapé pode ajudar o corpo a sair do seu próprio caminho, tanto física quanto mentalmente. Em termos de física, isso implica limpar as cavidades nasais do excesso de ranho, toxinas e bactérias. Como resultado, o rapé ajuda na proteção do corpo contra gripe e constipação.
  • O rapé também tem um efeito de limpeza mental. Os pensamentos desnecessários desaparecem, o nível de energia é equilibrado e a conexão com a terra e o universo é fortalecida.
  • O nível de nicotina também garante atenção e concentração adequadas. Isso ocorre porque o cérebro produz os neurotransmissores dopamina, acetilcolina e epinefrina.
Rapé como remédio

O uso do estupro é visto como remédio pelos povos indígenas. É usado para tratar uma variedade de doenças como analgésico, bem como remédio para fadiga, dor e náusea. Também é visto como uma forma de reforçar o potencial curativo de substâncias enzimáticas e fitoterápicas como a ayahuasca.


Alucinógenos cogumelos e mágicos

cogumelos-mágicos

Cogumelos alucinógenos, também conhecidos como mágicos, é um tipo fungo que contém substâncias psicoativas capazes de causar alterações em regiões do cérebro e alterar a percepção de uma pessoa sobre as coisas ao seu redor Psilocybe cubensis e Panaeolus Spp. São os cogumelos psicodélicos mais consumidos, apesar de Amanita muscaria ser o mais popular.

Os efeitos dos cogumelos mágicos variam de acordo com a saúde geral da pessoa, como o cogumelo é consumido, e a concentração da substância, com alterações visuais e sensoriais, aumento da autoconfiança, alterações na consciência, sonolência e, em certos casos, possíveis alucinações.

Como eles funcionam

Cogumelos incluem substâncias psicodislépticas que podem causar uma perturbação no sistema nervoso central, resultando em efeitos alucinógenos. A principal substância encontrada nos cogumelos é a psilocibina, que é convertida em psilocina no organismo e é responsável pelos efeitos alucinógenos dos cogumelos. Atua diretamente no cérebro, amarrando regiões que normalmente não se comunicam e bloqueando os efeitos da serotonina, resultando em efeitos semelhantes aos dos opiáceos.

Outras substâncias que podem ser encontradas nos cogumelos incluem muscarina e isoxazol, que podem causar náuseas, dores abdominais, vômitos, euforia, alterações visuais, alterações cardíacas e alucinações no caso do isoxazol.

Cogumelos alucinógenos e seus efeitos

Os efeitos alucinógenos dos cogumelos são determinados não só pela concentração de substâncias psicoativas e pela quantidade consumida, mas também pelo estado psicológico da pessoa. Quando essas cápsulas são utilizadas, na maioria das vezes, a percepção do que está retornando é alterada , dificultando a distinção entre fantasia e realidade. Seguem-se os principais efeitos dos cogumelos alucinógenos:

  • Aumento da sensibilidade perceptiva;
  • Sensação de bem-estar;
  • Aumento da autoconfiança;
  • Aumento da pressão arterial e temperatura corporal;
  • Aumento dos batimentos cardíacos;
  • Mudanças de consciência, humor e pensamentos, comumente chamadas de " viagem";
  • Dilatação pupilar;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Fraqueza muscular
  • Distorções visuais e auditivas, como efeitos de halo e cores vibrantes.

Algumas pessoas podem experimentar efeitos negativos de cogumelos mágicos, uma condição conhecida como "bad trip", que é marcada pela presença de alucinações, medo, paranóia e ansiedade.

Mas não se preocupe, o artigo “cogumelos mágicos como usar” lhe dará o passo a passo de como se preparar para ter a melhor das experiências.

Curiosidades sobre a psilocibina

  • A psilocibina não é naturalmente viciante.
  • Tem efeitos físicos e psicológicos positivos e negativos;
  • Pode desencadear episódios psiquiátricos;
  • Indivíduos com histórico familiar de esquizofrenia ou doença mental que começam precocemente enfrentam um risco maior de uma reação psiquiátrica à psilocibina.

Juba-de-leão: Descubra seus 10 Benefícios

Juba-de-leão Descubra seus 10 Benefícios

O que exatamente é o cogumelo juba-de-leão?

O cogumelo juba-de-leão ou lion's manes é um cogumelo de aspecto único com propriedades medicinais. É castanho de cor creme, e não tem a forma típica de cogumelos dos talos e chapéus. Dependendo da variedade, ele se assemelha a um coral ou pode ter olhos de ouriço, em uma única massa que cresce naturalmente em várias partes do mundo. Com um aumento significativo na popularidade, ele foi cultivado em pequena escala para fins culinários e medicinais, confira onde lion's manes comprar.

Seu nome científico, Hericium ("ouriço" em latim), refere-se à sua aparência líquida. Ele também é conhecido como cogumelo-coral, hou tou gu e yamabushitake em várias partes do mundo.

O cogumelo juba-de-leão é utilizado medicinalmente como chá, tintura, pó ou cápsula. Ele pode ser comido cru e fica delicioso quando temperado com manteiga ou ghee. Nunca colete animais silvestres sem antes ter um profissional para identificá-los. Se você quiser comê-lo fresco, poderá encontrá-lo cultivado e colhido na natureza e vendido em um mercado.

Quais são os benefícios para a saúde de um cogumelo juba-de-leão?

O número de estudos sobre a juba-de-leão aumentou. Os usos mais conhecidos do cogumelo juba-de-leão têm a ver com desempenho cognitivo ou saúde neurológica. Além disso, evidências preliminares sugerem que ele pode ser capaz de aliviar problemas digestivos e respiratórios, melhorar a atividade antifúngica e a saúde do sistema imunológico, estabilizar os níveis de açúcar no sangue, promove níveis saudáveis ​​de colesterol e pressão arterial, estimular cicatrização saudável e prevenir uma variedade de doenças crônicas.

Juba-de-leão

Alguns dos juba-de-leão também sugerem que isso pode ajudar a promover o humor positivo. Uma grande parte da pesquisa recente foi realizada em ratos, embora novas pesquisas em humanos estejam sendo publicadas.

Tradicionalmente, os povos indígenas usavam juba-de-leão para tratar problemas digestivos, como úlceras e debilitações gerais, além de melhorar o desempenho atlético e como anti-hemorrágico para feridas.

Em geral, o juba-de-leão é seguro, sem efeitos adversos graves relatados. No entanto, se você tem alergia ao cogumelo, consulte um profissional de saúde antes de usar o juba-de-leão.

#1 Reparação e crescimento do sistema nervoso

Um experimento com ratos descobriu que uma lesão de esmagamento de nervo tratada com extrato de juba-de-leão foi eficaz na reparação e regeneração do nervo. Um estudo realizado na Malásia concluiu que o juba-de-leão é benéfico para o crescimento e diferenciação humana. Outros estudos descobriram que o cogumelo é benéfico para pessoas com neuropatia diabética. Como resultado, um juba-de-leão pode ajudar a tratar problemas e lesões nos nervos periféricos, além de apoiar o crescimento e a saúde dos neurônios.

#2 Doença de Alzheimer

Um estudo in vitro usando células de ratos descobriu que o extrato de juba-de-leão ajudou a reduzir os danos causados ​​pela proteína beta-amiloide aos neurônios, uma das principais causas da doença de Alzheimer. Isso sugere que o extrato de juba-de-leão pode ter efeitos antioxidantes e neuroprotetores em ratos. Mais estudos humanos são necessários, mas este é um primeiro passo promissor para o uso potencial de juba-de-leão no tratamento de doenças neurológicas.

#3 Traduções humorísticas e musicais

Em 2019, uma revisão de estudos e informações científicas sugeriu a existência de evidências preliminares e indiretas de que o juba-de-leão poderia ser útil no tratamento de transtornos de humor. A compatibilidade do juba-de-leão para melhorar a saúde neurológica geral, além de ser um anti-inflamatório para o sistema nervoso, são mecanismos possíveis. Este estudo recomendou que mais pesquisas sejam feitas sobre essas informações preliminares e promissoras sobre os benefícios do juba-de-leão para aqueles com transtornos de humor. Um juba-de-leão pode ser uma adição útil a um tratamento abrangente de saúde mental.

Os participantes de um estudo consumiram juba-de-leão por oito semanas se tivessem dimensões corporais maiores e tivessem transtornos de humor, transtornos de sono ou problemas de alimentação compulsiva. Os resultados revelaram que o juba-de-leão pode ajudar aqueles com alterações de humor depressivas e ansiosas, além de melhorar a qualidade do sono.

Um pequeno estudo controlado por placebo de 30 mulheres na menopausa descobriu que consumir juba-de-leão por quatro semanas reduziu significativamente os sintomas depressivos e de ansiedade.

#4 Epilepsia

De acordo com estudos, juba-de-leão, particularmente a variedade Hericium erinaceus, pode ajudar a prevenir danos nos nervos em ratos após convulsões. Mais pesquisas são necessárias para confirmar essas descobertas e determinar sua eficácia em humanos. Consulte o seu médico antes de incluir um juba-de-leão em um tratamento de epilepsia estabelecido.

#5 Recuperação e prevenção de AVC

Um estudo realizado em Taiwan com ratos que sofrem de AVC concluiu que a juba-de-leão pode ajudar a prevenir danos cerebrais causados ​​pela falta de oxigênio. Isso incentiva o desenvolvimento de outros estudos que se mostram promissores para o crescimento do nervo. Fale com o seu médico sobre o seu plano de recuperação e prevenção do AVC.

Um estudo in vitro usando células humanas e animais descobriu que um componente da juba-de-leão pode ajudar a prevenir coágulos sanguíneos, que podem levar a ataques cardíacos e AVC. Mais pesquisas seriam necessárias para confirmar essas descobertas em humanos. Não se esqueça de conversar com seu médico sobre tratamentos para riscos graves como coágulos sanguíneos.

#6 Funcionamento Cognitivo

De acordo com estudos em animais, consumir juba-de-leão pode ajudar a prevenir problemas de memória espacial e visual.Ao longo de 16 semanas, um pequeno estudo duplo-cego controlado por placebo analisou adultos japoneses e encontrou uma melhora significativa na função cognitiva. Pessoas com comprometimento cognitivo leve apresentaram melhorias em cada um dos intervalos de oito, doze e dezesseis semanas do estudo. No entanto, se o consumo de juba-de-leão foi interrompido, os efeitos benéficos desapareceram. Mais pesquisas são necessárias para investigar uma estratégia sustentável de longo prazo para melhorar a função cognitiva.

#7 Saúde estomacal e intestinal

Os usos indígenas tradicionais de juba-de-leão incluem o tratamento de úlceras gastrointestinais. Um estudo de 2015 confirmou a eficácia desse uso tradicional em ratos. Descobriu-se que juba-de-leão reduz a ulceração no estômago de ratos e previne a progressão da úlcera. Outros estudos que analisaram vários problemas digestivos em humanos produziram resultados mistos, com alguns positivos e outros negativos. Uma dosagem adequada é fundamental. Como resultado, visite um profissional de saúde qualificado antes de usá-lo como parte de um programa abrangente de cuidados com a saúde digestiva e intestinal.

#8 Inflamação

A inflamação é um fator que contribui para o agravamento de muitas doenças crônicas. Preliminarmente, a juba-de-leão provou ser uma opção promissora e motivadora como anti-inflamatório geral. Em um estudo de 2015, os pesquisadores analisaram a inflamação do tecido adiposo (gordura) e descobriram que comer juba-de-leão pode prevenir ou reduzir a inflamação ligada à obesidade.

#9 Diabetes

Outro estudo usando ratos diabéticos descobriu que o juba-de-leão pode ajudar a estabilizar os níveis de açúcar no sangue, diminuir o colesterol e controlar a inflamação, além de melhorar outros indicadores de doenças crônicas. O juba-de-leão pode ser usado como parte de uma abordagem abrangente de gerenciamento de diabetes.

#10 Manutenção de um teor de colesterol saudável

Um estudo in vitro descobriu que o juba-de-leão pode ajudar a prevenir a oxidação do colesterol LDL, que é frequentemente considerado uma das principais causas de oclusão arterial. No entanto, mais pesquisas são necessárias para determinar se isso é aplicável a animais ou humanos.

Um experimento com ratos descobriu que comer juba-de-leão melhorou o metabolismo das lipoproteínas e reduziu o peso corporal ao longo de 28 dias.

Outro estudo, que envolveu ratos obesos em uma dieta rica em gordura, descobriu que depois de consumir juba-de-leão, os níveis de colesterol, incluindo LDL e HDL, e triglicérides, voltaram ao normal. Esse resultado é promissor, mas são necessários mais estudos em humanos para determinar se este é um tratamento adequado para o metabolismo das lipoproteínas, perda de peso, doenças cardiovasculares e colesterol alto.

Conclusão

O juba-de-leão está recebendo muita atenção por tratar uma variedade de problemas relacionados ao sistema nervoso e à função cognitiva. Outros benefícios comuns em outros cogumelos incluem suporte ao sistema imunológico, propriedades anti-inflamatórias e suporte geral à saúde. Além disso, estudos sobre seus benefícios para uma variedade de outros sistemas do corpo estão se tornando mais comuns.