cogumelos mágicos

Cogumelos alucinógenos podem tratar depressão profunda, diz estudos

A Psilocibina, componente presente em cogumelos mágicos, é estudada por britânicos. Os efeitos e os benefícios dos cogumelos alucinógenos ainda estão em fase de testes. cogumelos mágicos

Confira algumas informações para você que procura comprar cogumelos magicos online. A psilocibina, o componente psicodélico presente em cogumelos mágicos, pode um dia ser um tratamento eficaz para pacientes com depressão profunda que não conseguem se recuperar usando outras terapias, disseram cientistas nesta terça-feira (17).

Um estudo piloto de pequena escala do uso da psilocibina em casos de depressão resistente a tratamento convencional mostrou que o método é seguro e eficiente, disseram pesquisadores britânicos sobre os resultados de estudos com psilocibina, substância encontrada em cogumelo aluncinógeno.

Dos 12 pacientes que receberam a droga dos cogumelos alucinógenos, todos mostraram algum recuo nos sintomas de depressão durante pelo menos três semanas. Sete continuaram a exibir uma reação positiva após três meses, e cinco continuavam em recuperação após este período.

Robin Carhart-Harris, que liderou o estudo no departamento de medicina do Imperial College de Londres, disse que os resultados, publicados no periódico científico Lancet Psychiatry, são surpreendentes.

Muitos pacientes descreveram uma experiência profunda, disse ele, e pareceram ter uma transformação na maneira como percebem o mundo.

“Mas não devemos nos empolgar com estes resultados”, afirmou aos repórteres em um boletim em Londres. “Isso não é uma bala de prata. Estamos começando a aprender como fazer este tratamento”.

Os cogumelos mágicos crescem em todo o mundo e vêm sendo usados desde os tempos antigos, tanto para recreação quanto para rituais religiosos.

fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2016/05/cogumelos-alucinogenos-pode-tratar-depressao-profunda-diz-estudo.htmlv

Estudo avalia eficácia de cogumelos alucinógenos para tratamento da depressão

Psilocibina, uma substância psicodélica encontrada em um tipo de cogumelo, é segura para o consumo por pessoas mentalmente saudáveis, aponta estudo em fase inicial. cogumelos alucinógenos

A psilocibina, uma substância psicodélica encontrada em cogumelos alucinógenos, é segura para o consumo por pessoas mentalmente saudáveis. Foi o que concluiu a primeira fase de um estudo conduzido pelo King´s College London, no Reino Unido, sobre o potencial uso da psilocibina no tratamento de pacientes depressivos. No Brasil uma substância de fácil acesso, confira um site confiável para psilocibina onde encontrar.

O coordenador da pesquisa, James Rucker, líder do grupo de pesquisa em Estudos Psicodélicos do King’s College London, explica que se consumida por “pessoas saudáveis em um ambiente controlado por médicos e psicologicamente favorável, a psilocibina é segura e bem tolerada”.

Após o consumo da substância, os voluntários ficaram em uma sala monitorada por um psiquiatra por seis horas. “Não houve eventos adversos graves e os efeitos colaterais que ocorreram, como a alteração da percepção, já eram esperados. Isso não significa que é seguro tomar psilocibina fora de um ambiente médico”, afirma.

A fase 2 e 3 do estudo se concentrará em descobrir se o psicodélico é eficaz para a depressão. “Precisamos de mais ensaios e estudos antes de testar a substância em deprimidos. Mas esses estudos estão em andamento e devem ser concluídos nos próximos cinco anos”, afirma Rucker. Segundo o acadêmico, a pesquisa da psilocibina está em desenvolvimento clínico para depressão em centros nos Estados Unidos, Canadá e Europa.

“O que podemos afirmar até o momento é que a terapia assistida por psilocibina, feita de modo intermitente e fornecida em um ambiente hospitalar seguro, contrasta com a necessidade de se tomar um antidepressivo todos os dias em casa”, explica o britânico.

Os resultados preliminares foram apresentados no dia 11, durante o 58º encontro anual da American College of Neuropsychopharmacology (ACNP).

Avaliação dos pontos polêmicos

Sem participar do estudo e analisando o cenário geral do estudo, o médico psiquiatra titular da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Marcelo Avelato, aponta que o que se conhece sobre os usos terapêuticos de psicoativos ainda é muito limitado.

“Tudo que já se pesquisou sobre o uso de psicoativos no tratamento de transtornos mentais obteve resultados modestos e não há nenhuma eficácia comprovada”, afirma Avelato. “O canabidiol, por exemplo, está na moda, mas ainda precisamos de muitos estudos para se falar do uso da substância no tratamento da depressão”.

Se comprovada a eficácia da substância encontrada no cogumelos mágicos, Avelato acredita que esse tipo de terapia não convencional será ainda mais cara que a convencional. “Será um tratamento com custo elevado, pois é preciso ser feito em um ambiente hospitalar e com um acompanhamento médico por horas. Não é barata manter essa estrutura”, avalia.

Apesar dos contras, o psiquiatra brasileiro é a favor dos estudos sobre o uso da psilocibina no tratamento de depressivos. “Ainda existem necessidades não atendidas no tratamento da depressão, como os casos em que os pacientes são resistentes ao tratamento convencional.”

De acordo com Avelato, um terço dos pacientes com depressão não terão resultados eficazes ao tratamento convencional. Para essa parcela resistente, o médico explica que há alternativas como a polêmica terapia eletroconvulsiva e antidepressivos usados somente para esses tipos de casos com sintomas residuais – alguns ainda não liberados para uso no Brasil.

“Esses pacientes resistentes não ficarão tão mal quanto estavam no começo da terapia, mas ainda terão sintomas residuais importantes da depressão”, explica o psiquiatra. “Se liberada, a substância será uma opção a mais no tratamento da depressão, principalmente para os casos resistentes à terapia”.

Fonte: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/12/21/estudo-avalia-eficacia-de-cogumelos-alucinogenos-para-tratamento-da-depressao.ghtml

No Brasil psilocybe cubensis comprar é uma pratica legal, e tem sido procurado para fins de estudos por pesquisadores de todo o globo, sites como ahofind.com prestam atendimento rápido e solução na procura pelos mágicos no pais.


Como funciona a nossa mente com Psilocibina

O que eu gostaria de abordar neste artigo, diz respeito a cada um de nós especificamente, porque somos todos humanos, todos temos um cérebro.

Embora podemos vir de religiões diferentes, origens diferentes, profissões diferentes e cores diferentes, o nosso cérebro funciona praticamente da mesma maneira.

No centro do tópico do que iremos abordar estão os psicodélicos. Mas quero deixar uma coisa muito clara desde o início, não é meu propósito incentivar o uso de quaisquer substâncias legais ou ilegais.

O meu propósito é despertar sua curiosidade sobre substâncias psicodélicas, um assunto que estava adormecido há muitos e muitos anos, levantando estigmas sobre estas substâncias psicodélicas, porque eu acredito e a ciência também acredita que há muito potencial tanto na medicina, quanto nas pesquisas em termos de desenvolvimento pessoal, eles podem ser usados como ferramentas pessoais, auxiliando em traumas do passado, comportamentos depressivos e em transtornos de ansiedade, portanto mesmo antes de começarmos a discutir precisamos entender como funciona o cérebro dos humanos.

Como o cérebro funciona

O nosso cérebro em grande parte funciona como um software automático, o que isso significa? São cerca de 80 milhões de neurônios em nosso cérebro se comunicando através de sinais elétricos e estes sinais trocam informações, sentimentos, percepções e é assim que você se sente, é assim que você pensa, assim você memoriza e tudo mais.

Sua experiência humana depende de vários neurônios disparando juntos, simultaneamente, perfeitamente e sincronizados..

Infelizmente na medida em que envelhecemos, tendemos a pensar apenas em redes neurais definidas, quando uma criança nasce por exemplo, o cérebro dela funciona de maneira muito diferente, a criança usa um potencial neurológico muito maior da capacidade do seu cérebro, eles usam sinais muito diferentes em comparação com os dos adultos.

Podemos concordar que as crianças podem cair muito, elas podem fazer perguntas estranhas, certo? É por isso que as estranhamos, porque usam caminhos neurológicos muito diferentes em comparação com os nossos.

As crianças não têm discernimento do que é passado e futuro, não nascem com um idioma de fala e entendimento pré-definido, porém sua capacidade de aprendizagem é algo fascinante.

O que explica isso? Porquê quando adultos temos mais dificuldade no aprendizado?

Eu vou me concentrar em uma rede neurológica específica (DMN) este é o modo de rede padrão e como você deve ter adivinhado, é o modo de funcionamento padrão do nosso cérebro.

O que é amplamente responsável por sua consciência a percepção humana, essa rede está situada em seu córtex pré-frontal medial e está ativa praticamente o tempo todo, mesmo que esteja envolvido em uma tarefa, quando está pensando em si mesmo, quando está pensando em outras pessoas, quando está envolvido em uma lembrança detalhada da memória no raciocínio moral, quando você está dando julgamento e rótulos, quando está avaliando você mesmo ou os outros, e sempre que você pensa sobre o futuro ou passado.

Dos 6 aos 12 anos é que o cérebro entra no modo padrão, você não será capaz de pensar fora dessa rede neurológica, não podemos simplesmente ir em frente e dizer “vou evitar isso, eu vou usar o meu potencial neurológico extra”.Não é tão simples assim.

Com a idade tendemos a buscar apenas os mesmos caminhos por essa rede padrão e gostando ou não, eles vão processar as coisas para você de uma forma específica.

Porque estou lhe contando tudo isso? Bom, por causa dessa rede automática, somos como somos e descobriu-se que os psicodélicos têm um efeito absolutamente profundo nessa rede.

O que são psicodélicos

Bem, em primeiro lugar, a palavra é um conceito derivado do grego antigo e o termo surgiu na década de 60 junto com as drogas alucinógenas como o LSD.

Psique significa: mente ou alma.

Dhélics: significa mostrar ou revelar, isso se traduz em revelação da mente ou comumente usado como “expansão da mente”.

Existem muitas muitas muitas substâncias diferentes que poderia ser classificadas como psicodélicas por aí e eu quero enfatizar realmente aqui que eles eles são uma categoria completamente diferente de coisas em termos de experiência qualitativa em comparação com qualquer outra coisa que você possa ter encontrado na rua ou que possa ter ouvido falar de seus amigos fumando ganjah, talvez usando um pouco de cocaína, isso é completamente diferente, eu vou concentrar praticamente em um tipo específico deles neste artigo.

Esses são chamados LSD, Cogumelos Mágicos ( psilocibina) e dmt também conhecido como Ayahuasca, desses três vou me concentrar em uma substância específica que é o cogumelo psilocybe cubensis.

psilocibina onde encontrar

Quando você ingere cogumelos mágicos a psilocibina se decompõe em seu estômago e a psilocina é o que faz a magia, eles são agonistas do receptor de serotonina.

O que isso significa?

É que eles não agonizam seus receptores ou fazem mal a eles, o que eles fazem é ligar-se a eles, a molécula de psilocina é uma réplica exata da molécula de serotonina, é uma réplica exata da natureza, é como se a natureza brincasse de copiar e colar.

Sendo assim, a forma como eles se ligam ao receptor é absolutamente magnífica, porque não faz mal ao receptor, não machucam os tecidos ou causam algum dano ao tecido.

Os cogumelos Mágicos, psilocibina onde encontrar, crescem em quase todas as zonas climáticas, existem mais de 200 espécies deles em todo mundo e eles têm sido usados até 6000 Anos antes da vinda de Cristo.

Eles têm sido usados por muito muito tempo apenas em um ambiente religioso espiritual não recreacionalmente, esta não é uma substância recreativa e não deve ser tratada como tal porque os efeitos em comparação com as outras substâncias recreativas como as quais estamos mais familiarizados, são completamente diferentes, os efeitos são algo que você realmente não pode colocar em palavras pois ficará aparente em breve.

Para ver como a psilocibina, o cogumelo mágico afeta o cérebro humano, depois de já estabelecermos que a molécula de psilocina se liga ao receptor de serotonina que realmente é algo espetacular, algo incrível a primeira pesquisa sobre a qual vou falar foi conduzida em 2012 em Londres.

Uma equipe de pesquisadores liderados pelo professor do Colégio Imperial de Londres David nutt um cara incrível.

O que eles fizeram foi administrar adultos em um ambiente controlado e observará quais eram os efeitos causados pelos cogumelos mágicos, então o que aconteceu foi que quando a psilocina encontrou o receptor de serotonina o fluxo sanguíneo para sua rede de modo padrão (DMN) aquela área que é constantemente responsável por seus pensamentos q ue está sempre ativo, eles notaram que o fluxo sanguíneo daquela área foi severamente reduzido e o cérebro foi colocado em uma espécie de estado de sonhos sedado.

Em 2014 a mesma equipe acompanhada por um matemático italiano, aliás, então pelo menos para mim o que me diz que os resultados devem estar corretos, eles descobriram que paralelamente à essa diminuição do fluxo sanguíneo havia também uma diminuição da atividade neural dentro da rede de modo padrão (DMN) dos sujeitos.

Então os neurônios do DMN que normalmente trocam sinais para processar as coisas, estava agora meio que em um modo de funcionamento reduzido, quase desativado de certa forma.

Enquanto você estiver sobre os efeitos dos cogumelos mágicos, o cérebro estará em neuroplasticidade, isso significa que sempre que tiver uma emoção, um pensamento que normalmente seguiria um caminho específico através do DMN, o seu cérebro criará automaticamente novas conexões, criará novas junções entre os neurônios e irá encontrar maneiras alternativas de se comunicar.

As mesmas informações agora estão sendo processados por meios alternativos, caminhos diferentes e não é apenas isso o que eles observaram, identificaram que a comunicação geral dos neurônios dentro do cérebro foi espetacularmente aprimorada, o efeito de longo alcance, como é chamado na ciência o “efeito de longo alcance” onde áreas do cérebro se separam uma das outras onde normalmente não havia como se comunicar ou processar informações,agora elas estão estabelecendo as novas conexões.

O DMN foi desativado e isso é algo espetacular, houve uma reorganização temporária dramática do cérebro e um grande aumento na atividade da comunicação neural e as novas conexões foram perfeitamente sincronizadas no espaço e no tempo.

É como se o cérebro soubesse como fazer essas coisas por padrão mas se esqueceu durante o período de crescimento, notaram que o cérebro não estava sobrecarregado, na verdade parecia estar em estado de meditação, as varreduras cerebrais eram praticamente idênticas a de um cérebro em meditação.

A meditação meio que afeta as mesmas redes neurológicas que a rede de modo padrão (DMN) desligando os sentimentos de si mesmo e a sua conversa interna e tudo mais, é ai então que as coisas realmente começam a terem sentido, é muito muito louco quanto potencial de comunicação entre neurônios a psilocibina é capaz de estabelecer.

Esse é o aparato mais complexo conhecido pelo homem, estudos afirmam que não utilizamos nem 10% da capacidade do nosso cérebro por causa da rede de modo padrão (DMN), podemos estar diantes do maior avanço da evolução do ser humano com o uso das substâncias psicodélicas como os cogumelos alucinógenos com psilocibina (psilocybe cubensis), veja onde cogumelo alucinógeno comprar, os famosos cogumelos mágicos.


O que os cogumelos mágicos fazem?

Cogumelos mágicos são drogas alucinógenas, o que significa que podem fazer com que você veja, ouça e sinta sensações que parecem reais, mas não são. Os efeitos dos cogumelos mágicos, no entanto, são altamente variáveis ​​e acredita-se que sejam influenciados por fatores mentais e ambientais, como outros alucinógenos. Confira também ayahuasca benefícios.

Vários fatores influenciam os efeitos dos cogumelos mágicos, incluindo dosagem, idade, peso, personalidade, estado emocional, ambiente e histórico de doença mental.

Rituais e autodescoberta

Os cogumelos mágicos são frequentemente procurados para uma alta pacífica, os cogumelos alucinógenos foram relatados para induzir ansiedade, alucinações assustadoras, paranóia e confusão em alguns.

As internações hospitalares relacionadas ao uso de cogumelos mágicos estão frequentemente ligadas ao que é conhecido coloquialmente como uma "má viagem".

Cogumelos mágicos são usados ​​há milhares de anos para usos espirituais e medicinais entre os povos indígenas da América e da Europa.

Os cogumelos têm uma longa história de associação com experiências espirituais e autodescoberta.

Muitos acreditam que drogas naturais como cogumelos mágicos, erva daninha e mescalina são ervas sagradas que permitem que as pessoas atinjam estados espirituais superiores.

Outros tomam cogumelos mágicos para experimentar uma sensação de euforia, conexão e uma sensação distorcida de tempo.

O que acontece quando ingerimos cogumelos alucinógenos?

A psilocibina encontrada nos cogumelos é convertida em psilocina no corpo e acredita-se que influencie os níveis de serotonina no cérebro, levando a percepções alteradas e incomuns. Os efeitos levam de 20 a 40 minutos para começar e podem durar até 6 horas – a mesma quantidade de tempo que leva para a psilocina ser metabolizada e excretada.

Os pesquisadores tendem a desaconselhar a automedicação com psilocibina porque, fora de um ambiente clínico, pode ser mais difícil gerenciar sua ansiedade enquanto estiver sob a influência (potencialmente levando a uma bad trip), você pode tomar uma dosagem muito alta e é difícil saber a pureza da droga se você a estiver comprando de uma fonte não regulamentada.

Além disso, pessoas com condições de saúde mental pré-existentes podem ter maior probabilidade de sofrer efeitos adversos da psilocibina.


Estudo com psilocibina inscreve médicos com depressão ligada ao COVID

O estudo UW Medicine visa detectar se a psicoterapia assistida por psicodélicos ajuda a aliviar a depressão e o esgotamento.

Estudo com psilocibina inscreve médicos com depressão ligada ao COVID

A inscrição começou em um pequeno estudo sobre se a psicoterapia assistida por psilocibina pode ajudar a aliviar os sintomas de depressão e ansiedade que os médicos da linha de frente desenvolveram durante a pandemia do COVID-19.

A psilocibina é o composto psicodélico encontrado em algumas espécies de cogumelos mágicos. A Food and Drug Administration dos EUA classificou recentemente seu papel assistivo na psicoterapia como uma "terapia inovadora" para a depressão.

Estudo com psilocibina inscreve médicos com depressão ligada ao COVID

A psilocibina permite exclusivamente a exploração psicológica, disse o Dr. Anthony Back, principal investigador do estudo.

Este é o primeiro estudo do benefício potencial da terapia com médicos, e a Escola de Medicina da Universidade de Washington é o único local de teste. Trinta participantes serão aleatoriamente designados para o grupo de teste ou grupo placebo. A psilocibina ou placebo será administrado durante uma sessão de uma série de visitas com psicoterapeutas especialmente treinados.

“Estamos à procura de médicos, enfermeiros e prestadores de cuidados de saúde que apresentem sintomas clinicamente significativos de depressão e ansiedade. Esperamos ajudá-los a lidar com seus sentimentos de tristeza, inadequação e sofrimento moral como resultado de cuidar de pacientes com COVID”, disse o Dr. Anthony Back , o investigador principal.

Ele é um oncologista da UW Medicine, especialista em cuidados paliativos e professor de medicina. Ele também passou por treinamento em terapia psicodélica assistida.

Back descreveu o trauma sofrido por muitos prestadores de cuidados de COVID-19 da linha de frente.

“No início, havia essa incerteza agonizante sobre a facilidade com que o vírus era transmitido. Então, muitos médicos viram os pacientes morrerem bem na frente deles, sem a família presente, então os médicos tiveram que carregar o fardo emocional que os familiares normalmente carregariam. E muitos desses pacientes morrem em grande desconforto físico, ofegantes. Tem sido muito difícil e, em alguns casos, traumático.

“O que ouço meus colegas dizerem é: 'Acho que não posso continuar fazendo isso'”, disse Back.

Os inscritos no teste devem atender a um conjunto de critérios de elegibilidade e responder a um questionário validado cientificamente para confirmar seus sintomas de depressão. Esse mesmo questionário será aplicado novamente após as sessões para avaliar se a psilocibina fez diferença na eficácia da terapia.

Todos os participantes terão duas sessões de aconselhamento de 90 minutos para criar confiança com os terapeutas e aprender o que esperar durante a experiência psicodélica. Na terceira visita, os participantes da coorte de teste receberão uma dose de psilocibina pura sintetizada, equivalente a cerca de 3 gramas de cogumelos secos. Essa sessão será orientada por dois terapeutas e tem duração prevista de quatro horas ou mais.

“Nós os vigiaremos até que eles alcancem o estado de poder ir para casa em segurança com outra pessoa que esteja dirigindo”, disse Back.

Ele reconheceu que os participantes que recebem o placebo durante essa visita provavelmente perceberão isso “e provavelmente ficarão desapontados. Mas eles ainda terão a mesma janela de horas com dois terapeutas e, para muitos médicos, será a primeira vez que eles levam tanto tempo para processar os sentimentos que afetam negativamente suas atitudes em relação ao trabalho e à vida. ”

Estudos anteriores, principalmente um da Universidade Johns Hopkins , descreveram a eficácia da psilocibina no tratamento da depressão e da ansiedade.

Back sugeriu que a psilocibina permite exclusivamente a exploração psicológica. “Isso torna seu cérebro mais plástico e suas crenças e desejos menos rígidos. Pode permitir que as pessoas quebrem ciclos habituais de pensamentos e crenças” que podem causar sua tristeza e depressão.

Após essa terceira visita distinta, cada participante terá três sessões subsequentes de aconselhamento para discutir os insights obtidos e como eles podem informar suas atitudes em relação às mudanças no trabalho ou na vida que desejam fazer, disse Back.

A Fundação Steven & Alexandra Cohen está financiando o estudo. O Instituto Usona está fornecendo a psilocibina para o teste. A Cybin está financiando o treinamento para médicos que fornecerão psicoterapia assistida por psicodélicos. A Fundação Rita e Alex Hillman e a Fundação Riverstyx estão fornecendo financiamento suplementar para o pessoal específico envolvido no estudo.

Fonte: https://newsroom.uw.edu